pra quando você acordar

por Bettina Bopp

E me lembro de você dias assim, dia de chuva, dia de sol

mamoeiro (2)Você não vai acreditar, mas dois marimbondos pensaram em começar uma casa em um quadro da parede do meu quarto. É um quadro de flamingo com bolinhas pretas ao fundo. Não sei se isso interferiu na escolha. Precisei dissuadi-los dessa ideia. Com uma toalha e um travesseiro como escudo, eles voaram pela janela, contrariados.

Hoje choveu um pouco. Foi ótimo porque me poupou de regar as plantas. Por outro lado, a roupa molhou no varal. Tenho certeza de que sou mais feliz nos dias de sol. O manjericão reviveu. Precisa de tão pouco pra ficar verdinho de novo. Sabe que os trevos de quatro folhas se fecham no começo da noite? Eu não sabia. A sorte também adormece.

Tem duas teias enormes, com duas aranhas enormes, no meu quintal. Uma na entrada da área de serviço e outra em frente a churrasqueira. Uma tem amarelo nas costas, outra tem as patas listradas. Fizemos um pacto silencioso: elas não descem de lá e eu não as tiro dali. Uma chegou a extrapolar os limites e lançou sua teia no varal. Empurrei com o pano de prato. Disciplina é liberdade.

Finalmente consegui que os passarinhos viessem comer as frutas que deixo na minha varanda. Sabiás, bem-te-vis, maritacas. Dá uma felicidade! Agora já sei que eles preferem o mamão, porque as mangas e as folhas de repolho não fizeram sucesso. Eu como a fruta e eles as cascas e as sementes, que depois caem no jardim e nascem as frutas que vou comer novamente. Isso é tão Rei Leão…

Acredita que os mamoeiros estão florindo? Já te contei dos mais de 100 mamões papaia que colhi dos mamoeiros que a do Carmo plantou? O problema é que eles ficaram muito altos e só conseguíamos tirar as frutas com uma vara. Do Carmo, com a sua sabedoria imprescindível e diária, me disse que o erro foi ela ter jogado as sementes em pé. Por isso a altura. Esses que estão florindo agora são bem baixinhos, porque ela plantou ajoelhada. E se isso for mesmo verdade, e os mamões derem fruto nessa altura, eu terei a certeza de que a gente não sabe mesmo de nada.

Talvez eu não limpe tão bem a casa. Falo isso porque tenho visto insetos que nunca tinha visto por aqui. Como aquelas traças chegam tão rápido nos cantos? Elas se arrastam até lá? Voam e preparam um casulo pendurado? Estouram que nem pipoca? Bicho besta as traças.

Semana passada, vi pela janela um carro estacionado aqui na frente. No teto do carro, uma escultura grande de um inseto com uma trouxa de roupas nas costas. Achei que fosse carro de buffet infantil, mas não: era um carro de controle de pragas. Um cupim de mudança é uma imagem bem pouco poética.

Sabia que eu uso, todos os dias, aquela sua panela Wok? Sim, roubei. Foi com ela que me aventurei na cozinha nessa quarentena. Tem dado certo. Finalmente faço uma comida comível.

Tenho mais simpatia por joaninhas redondas. As ovaladas parecem besouros disfarçados. Não acredito que realizem desejos. Pode ser puro preconceito.

Minha primavera nunca esteve tão bonita. O outono já vai acabar e a gente viu a estação passar pela janela. Que privilégio estar em casa. Ter casa. Frei Beto chama isso de loteria biológica.

“No outono as árvores aprendem a difícil missão de desapegar, deixar ir. Na primavera elas entendem o motivo.” Li essa frase, achei bonita, guardei e não lembro de quem é. Não foi agora, porque não tenho conseguido ler nada esses tempos.

Bom, acho que é isso. Falar de amenidades cotidianas silencia de alguma forma o barulho interno que sua lesão na perna e a tragédia das 44 mil mortes me causam. As duas vão demorar pra cicatrizar…

primavera 2

22 comentários em “E me lembro de você dias assim, dia de chuva, dia de sol

  1. Marcia
    junho 17, 2020

    Que lindo isso, senti meu coração bem quentinho, que
    bom que te encontrei, foi a tua filha que indicou, cuidem-se adoro vcs.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Elza
    junho 17, 2020

    Ah quantas amenidades que passam desapercebidas!
    Eu estava com saudade 🏠☀️🙏🖼🦟🕸🐞🌺
    Obrigada Bettina!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Tamires Mendonça
    junho 17, 2020

    Que saudade dos seus textos.

    Curtir

  4. Aline
    junho 17, 2020

    Lindo como sempre !!!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Juliana Ribeiro
    junho 17, 2020

    Que texto mais lindo, leve e delicioso! Fez o meu dia aqui do outro lado do mundo!

    Curtir

  6. Marilda
    junho 17, 2020

    Sempre muito bom ler seus textos, achei esse vem poético.
    Saudades de ler vc
    Bjus e cuide da perna e da alma.
    Beijos e abraços iluminados p vc.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Marcos
    junho 17, 2020

    Que lindo. Vim através da sua filha que é uma gênia. Parabéns por essa arte pulsante em ambas.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Biah Percinoto
    junho 22, 2020

    LINDO! LINDO! LINDO!

    Curtido por 1 pessoa

  9. Danilo santos
    junho 27, 2020

    Estou assistindo nesse momento os vídeo do fabio bopp no YouTube
    Um abraço pra toda sua família

    Curtido por 1 pessoa

  10. Pedro Emmel
    julho 2, 2020

    Maravilhoso, Bettina! Esse blog é o cantinho que eu venho quando eu quero calentar o coração. Eu tenho um podcast, e seria maravilhoso se a gente pudesse trocar uma idéia sobre seu blog. Fica aí o convite! Gratidão pelo seu trabalho.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Iara Santana
    julho 6, 2020

    Lindo texto como todos os anteriores. Dá leveza ao coração.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em junho 17, 2020 por .