pra quando você acordar

por Bettina Bopp

Do tempo que transforma todo amor em quase nada

22119507_10210108749535161_1366124511_o

Você não vai acreditar, mas você já usou macacão jeans. MA-CA-CÃO-JEANSSSS. A prova é essa foto. Mais inacreditável que nós dois abraçados ao Roberto. Mais inacreditável que eu ter só 12 anos nesse dia e ainda lembrar com detalhes. Mais inacreditável do que, esse mês de setembro, fazer 12 anos que você está dormindo… Não, isso não. Não existe nada mais inacreditável do que isso.

Eu tinha 12 anos nesta foto, hoje tenho 52, isso faz 40 anos e quando eu tinha 40 anos você dormiu. E daí? Bom … daí nada.

Sabe, dia 16 passou, setembro já está acabando e eu não estive por aqui. Talvez não seja só setembro que esteja acabando. O amor também acaba.

Quando o amor acaba, fazer contas e pensar em números tentando encontrar uma lógica, não faz mesmo mais sentido nenhum.

Quando o amor acaba, o telefonema da mãe dizendo que seus olhos caíram no chão vira piada e não preocupação.

Quando o amor acaba, passar pela Rua Pinheiros é perceber que é só mais um caminho e não a vontade de te reencontrar dentro da Eurostar.

Quando o amor acaba, a playlist do Lucca no carro, com Disparada e Canteiros tocando, é só a constatação de um filho old school e não uma emoção inesperada.

Quando o amor acaba, e isso lhe trouxer saudades minhas, a culpa é sua.

Quando o amor acaba, não há interesse em saber se você gostaria do juiz de Curitiba, do prefeito vaidoso e imaturo e do que resta daquela esquerda incorruptível.

Quando o amor acaba, é frio constatar que as pessoas deveriam ir embora enquanto ainda são amáveis.

Quando a amor acaba, a Fiona no seu quarto, a sua lágrima, o seu olhar, a sua virada repentina de cabeça, é movimento involuntário, como um soluço, e só.

Quando o amor acaba, a segunda temporada do protagonismo da Maria é esperado já sem contar com você.

Quando o amor acaba, o começo de outubro e com ele um outro aniversário depois de tantos sem ver a vida real já virou costume.

Quando o amor acaba, Paulo Mendes Campos disse que o fim acontece até no andar diferente da irmã dentro de casa e eu posso concordar.

Quando a amor acaba, a chegada do retorno de Saturno da Bubu, ela já com 29 e o padrinho tão perto e ainda tão longe é de alguma forma cruel.

Quando o amor acaba, é esforço imaginar como seria outra vez você na mesa no almoço de domingo, suas convicções, suas paixões, sua voz. A imaginação é a memória que enlouqueceu.

Quando o amor acaba, os dias seguem não por causa da dor, mas apesar dela.

Quando o amor acaba, entrar no seu quarto e te olhar no fundo do olho, buscando sua alma, deixa de ser rotina. Por isso de vez em quando você vai lembrar de mim.

Na floração excessiva da primavera; no abuso do verão; na dissonância do outono; no conforto do inverno; em todos os lugares o amor acaba; a qualquer hora o amor acaba; por qualquer motivo o amor acaba; para recomeçar em todos os lugares e a qualquer minuto.

E neste minuto, li a matéria que existe uma nova terapia para pacientes em estado vegetativo em receber estímulos elétricos no nervo vago e outra matéria que um belga que estava há 23 anos dormindo conseguiu finalmente se comunicar e já escreveu um livro – obrigada Ju Freire, Dayane Dadalt e Mari Crespin!

Você nos pertence e vive em cada um de nós. Horcruxes? Relíquias da vida? Não sei. O que sei é que amo aquele mesmo bico doce do Lucca, os exercícios de preparação da Maria usando você, o talento seu e da Bubu com o violão, a maneira engraçada que o Derek te chama da porta do quarto, o sorriso largo e igual do Fabinho, a multidão de amigos da Bella que como você ela sabe fazer e a maneira excessiva e infindável que a gente escolheu te amar.

Anúncios

14 comentários em “Do tempo que transforma todo amor em quase nada

  1. Hilda de Oliveira Vieira
    outubro 1, 2017

    Tão doídas palavras e ao mesmo tempo tão cheias de amor! Que outubro lhe traga muita força pra continuar firme e possas realizar o sonho de ver todos reunidos, à mesa, no almoço de domingo. Grande abraço!

    Curtido por 1 pessoa

  2. É tão singelo… tão inexplicável. É o dom do amor traduzido em palavras!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Rômulo Souza
    outubro 2, 2017

    Oi!!! Bom ler um texto seu novamente!

    Tanta coisa mudou na minha vida desde a última vez que você escreveu por aqui… Fiquei noivo, decidi contar pros pais que gostaria de juntar minhas coisas e sair de casa em setembro, duas semanas depois meu pai faleceu, a ideia de sair de casa em setembro ficou pra trás, assumi coisas que não estavam nos planos assumir…

    Foram 3 meses (quase 4) de pura emoção e mudanças. O que me fez seguir adiante, não desistir e confiar que o futuro vai ser melhor: justamente o Amor!

    Por que estou contando isto a você? Porque desejo infinitamente que você encontre sua paz interior (apesar do caos externo), sua felicidade. Meu pai, seu irmão, você, eu, todos estamos onde deveríamos estar e vivemos exatamente o que devemos viver. Confiemos na infinita bondade de Deus. Esta Força Suprema nos fez habitar este planeta com o único propósito de sermos felizes e caminharmos juntos rumo à perfeição.

    Por mais difícil que possa parecer, você tem a força necessária para fazer com que o amor nunca se acabe. Acredite!

    E se por acaso você fraquejar, não der conta, lembre-se de todas as pessoas que lhe amam, que querem seu bem. Você não está sozinha!

    Fique em paz.

    Que os espíritos consoladores e os seres de luz derramem em sua vida muita paz, esperança e fé.

    Um grande abraço!

    Curtido por 2 pessoas

    • bettinabopp
      outubro 2, 2017

      Que lindo, que lindo, Rômulo! Meus sentimentos pelo seu pai e muito obrigada por essa mensagem tão cheia de esperança. Um bj

      Curtir

  4. melissa
    outubro 2, 2017

    Estava com saudades dos seus textos, jamais desista, pois vc inspira muita gente com sua história…

    bjos
    Melissa

    Curtido por 1 pessoa

  5. Bruna Yezeguielian
    outubro 2, 2017

    Querida <3!
    Que bom ler outro texto seu. Muito lindo o comentário do Rômulo e perceber quanto amor o seu irmão traz a você através de tantas outras pessoas, muitas até desconhecidas… De uma maneira ou de outra ele está sempre perto.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Gergiel
    outubro 4, 2017

    Bettina! Nem sei o que dizer diante de um post, com palavras tão profundas! que me mexeu nesse sentimento “AMOR” que tantas pessoas já tentaram descreve lo e não seguiram…
    O seu simplesmente magnífico!!! Contínuo aqui torcendo por vocês ; um abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Eduardo Matosinho
    outubro 4, 2017

    Foi a primavera (e a chuva) Bettina que trouxe um novo texto para o seu blog. Muito fôlego amiga é o que desejo, pois talento não te falta. Siga em frente… Parabéns! Um beijo, Matosinho

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em outubro 1, 2017 por .