pra quando você acordar

por Bettina Bopp

Palavras duras em voz de veludo

  ita aniversário

Você não vai acreditar, mas segunda-feira você faz cinquenta e um anos. Que bobagem aquela que a vida começa aos quarenta, né? Você dormiu ainda com 41 e no ano que eu fiz 40.

Lembro de uma tarde, perto do dia do seu aniversário que passamos no hospital, estar sozinha com você e aparecer o cardiologista, que havia cuidado do pai, pra te visitar. Ele sentou na antessala do seu quarto, comendo uma trufa que a mãe da Dani sempre levava pra nós, e te observou de longe. “Sabe, daqui a dez, vinte anos, seu irmão vai estar exatamente assim. Fui eu quem livrou seu pai de ficar desse jeito. Agora seu irmão – pausa dramática e sorriso nos lábios –, que pena que ele não era meu paciente.” Pegou mais uma trufa, cobrou a consulta (?) e saiu, soberbo.

Senti uma dor profunda. Fiquei arrasada. Fazia pouco tempo que você estava no hospital e ainda era o tempo da esperança. Não tínhamos aquele repertório todo de encefalopatia hipóxica e estado vegetativo persistente. Ele foi duro e onipotente. E eu tive medo dele estar certo.

Há poucas semanas fui a um encontro de amigas. Uma delas tem uma doença degenerativa e esconde das outras. Os sintomas começaram a aparecer e ela disfarça falando de outros problemas de saúde. As amigas fingem que acreditam.

Uma das amigas chegou mais tarde pro encontro. Muita festa e sorrisos quando ela entrou. Com voz doce, quase ingênua, perguntou pra outra: “Você está com uma doença degenerativa? Porque todo mundo do grupo tá comentando e eu disse que não sabia de nada, que achava que não.” A amiga com a doença negou, colocou um pedaço de bolo na boca, se ajeitou na cadeira, sem-jeito. A outra foi dissimulada e cruel. E eu tive medo por elas serem amigas.

A fala do cardiologista não me ajudou em nada, não te ajudou em nada, foi gratuita e desnecessária. A fala da amiga não ajudou em nada a outra, só serviu pra deixá-la ainda pior.

Eu mesma desejei e falei muitas vezes que queria que aquele médico um dia vivesse o que você vive. E que eu pudesse olhar pra ele, enquanto comia uma trufa da Lili, e dissesse, soberba, que o mundo dá voltas.

Abra Cadabra é uma expressão cabalística em aramaico que significa “eu crio ao falar” e que, embora clichê, indica o poder da fala. E a responsabilidade da palavra.

Acho que de alguma forma as pessoas se acostumaram a ferir umas às outras. É como se fosse um alimento. Como se fosse aplacar uma raiva que consome por dentro e não encontra o lugar certo pra ficar.

Essa semana, vi uma senhora de 66 anos se sentir mal na frente de um grupo grande de pessoas desconhecidas. É um momento constrangedor, frágil. Se fosse em qualquer outra situação, as pessoas iriam se solidarizar. Mas não. Muitos desejaram que ela morresse e que era bem-feito e que a maldita já ia tarde. Não era só uma senhora de 66 anos se sentindo mal na frente de um grupo grande de pessoas. Era a Dilma Roussef.

O estranho é que o que cada um acha dela politicamente não vai mudar se eu xingá-la bastante. E o que cada um acha do adversário dela politicamente não vai mudar se eu xingá-lo bastante. Não há esperança em conversão política. E não há esperança que a relação entre os diferentes seja de respeito e cordialidade.

Fico pensando se algumas palavras precisam ser ditas. Palavras são coisas perigosas. Elas têm um poder de engano infinito.

Por isso, Ita, neste aniversário, tenho poucas palavras. E algumas nem são minhas. Esteja atento. Existem outros caminhos. E em algum lugar, ainda existe luz. Pode não ser muita luz, mas ela vence a escuridão. Esteja atento.

E escolha ser feliz. Te amo.

Anúncios

12 comentários em “Palavras duras em voz de veludo

  1. Desiree
    outubro 19, 2014

    Sabe Be, as pessoas estão frias, está na biblia, que no final dos tempos o amor de muitos se esfriaria…prá não falar das coisas que poderiam estar afetando o “humor” das pessoas, os rastros quimicos talvez, o que colocam nos alimentos, na água, nos remédios, nas vacinas, quem sabe estão tornando mesmo as pessoas em zumbis, sem sentimento, sem amor…”ma chi sa”?!?! MÊDA!

    Curtido por 1 pessoa

    • bettinabopp
      outubro 19, 2014

      “É só o amor que conhece o que é verdade”, não é, minha linda? E eu te amo!

      Curtir

  2. lulicrespin
    outubro 19, 2014

    Parece que tenho duas vidas
    A antes de você dormir e a depois Ita
    Porque você dormiu, mas nós tivemos que acordar
    Acordar para uma nova dor, uma nova rotina diferente com você
    E acordar para uma transformação interna
    As vezes passamos a vida dormindo e achamos que estamos na intensidade de tudo
    E precisou você dormir para muitos acordarem
    Como em todos os textos da Bê que acabo escrevendo outro texto
    Pois me vejo dentro da historia, pois estive presente e estou
    Tive muitos cardiologistas em minha volta me tirando a esperança e confiança
    Aprendi a ler almas, a ler ações, palavras subentendidas
    Minha essência não mudou, nem mudará ela é o que sou eu de fato
    Mas aprendi a me defender da opinião alheia
    Escuto tudo o que dizem, mesmo as vezes não gostando
    E consigo sentir verdade, ou a falta de verdade
    O mundo esta mesmo egoísta e parece que tem um divisor de águas
    Eu sempre acreditei e acredito que depois de tantos sinais dados por você, algo surpreendente pode acontecer
    Tenho o otimismo tatuado em mim Ita
    Existem muitas pessoas cruéis, vazias, sem rumo e estas pessoas gostam de ver quem esta de cabeça erguida baixar a cabeça
    Eu concordo com a Bê em não respeitar alguém de 66 anos
    Mas aprendi a ver quanto não existe verdade ainda mais quando se deseja o poder, e que Dilma no caso a senhora de 66 anos me lembra mais o cardiologista comento trufas friamente enquanto comenta de uma outra vida humana
    Discordo de que neste caso as pessoas foram cruéis
    “Onde reina o amor, não há vontade de poder, e onde domina o poder, falta o amor. Um é a sombra do outro. ”
    (Carl Gustav Jung)
    Acredito que a crueldade que ela fez e faz com as pessoas é bem pior
    Pois imagino hoje Ita você dependendo do SUS
    Já é tão exaustivo o plano de saúde e enorme quantidade de falhas e erros
    Ser bom não é ser bobo
    A vida me ensinou isso na porrada mesmo
    E continua ensinando
    Por isso falo sempre de amor, o amor de verdade não precisa de truques nem mascaras
    Somos o que somos e amamos e somos amados por nossas qualidades e defeitos
    Nunca deixei de acreditar em você Ita, nem na Bê, nem em ninguém dos Bopp
    Te amo mesmo com seu pior defeito HOJE
    Ter escolhido dormir

    A amizade e a lealdade residem numa identidade de almas raramente encontrada.
    Epicuro

    Curtir

    • bettinabopp
      outubro 19, 2014

      “O segundo turno é passageiro; o convívio democrático é permanente.” Não discuto política por aqui. Lindo o que vc escreveu do Ita, Lula

      Curtir

  3. Abilio Marchi
    outubro 19, 2014

    Lindo Bê! Sobretudo você ter citado o ocorrido com a Dilma esta semana. Independentemente de questões partidárias, a frieza e os comentários exteriorizados pela maioria das pessoas diante do ocorrido, foi lamentável. Ou melhor dizendo, foi cruel.
    Ao Ita, a você e a toda a sua família, desejo sempre muita serenidade e força. Beijos minha amiga querida!

    Curtir

    • bettinabopp
      outubro 19, 2014

      Também me fez mal, querido, achei cruel…Assim como me fez bem esse seu carinho! Obrigada, meu amigo!

      Curtir

  4. Maria Sylvia Toledo
    outubro 19, 2014

    Véspera de Natal. Estava na lojinha do bairro, comprando as últimas lembrancinhas, para as crianças. Entrou na loja a mulher do médico do João e me perguntou como ele estava. Disse que estava bem. Ela então, muito seria, me disse- Coitado do João. O meu marido disse que ele vai ter uma morte horrível. Que a doença dele vai subindo e quando chegar ao pulmão ele morrerá sufocado. Fiquei paralizada, sem acreditar que uma pessoa pudesse fazer isto. Voltando para casa, com os brinquedinhos na sacola, fui dizendo para mim mesmo: -Não vai ser assim, não vai ser assim. Como todos sabem, o João viveu mais de trinta anos, após isto, e teve momentos da mais pura felicidade, acompanhando os filhos crescerem, se formarem, casarem. Vieram as netas, lindas, que também cresceram junto a ele, dando-lhe muito amor e alegria. É, tem gente que é assim. Insensível. Quer falar fala, sem pensar no outro.

    Curtido por 1 pessoa

    • bettinabopp
      outubro 19, 2014

      Que lindo, tia, obrigada por compartilhar. Desde que conheci o tio João nunca deixei de vê-lo sorrir e, ao contrário de muitos, de falar sempre uma palavra doce, um comentário espirituoso. O amor de vcs é admirável! Por isso e por tanto mais é uma família que amo!

      Curtir

  5. Juliana Navarro
    outubro 20, 2014

    Ita, que a luz brilhe e ilumine seu caminho. Tudo pode acontecer e a esperança de que seja seu despertar nunca sessara. FÉ, AMOR, ESPERANCA é parte da receita para vivermos melhor. Bj grande

    Curtido por 1 pessoa

  6. bettinabopp
    outubro 20, 2014

    Meu carinho, Ju! ❤

    Curtir

  7. Bruna
    outubro 22, 2014

    Inveja e crueldade andam juntas. Ainda bem que a gente é protegido.
    Te amo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s