pra quando você acordar

por Bettina Bopp

Pela luz dos olhos teus

olhos

Você não vai acreditar, mas ainda tenho dúvidas se você me vê. E ver não no sentido figurado, mas se você realmente me enxerga. Aquele exame que você fez, o potencial evocado, que avaliava a funcionalidade do Sistema Nervoso, mostrou que havia uma lentificação dos estímulos, mas não ruptura. Significava que você continuava ouvindo, sentindo, enxergando, mas de forma diferente.

Fica bem claro que você escuta, porque quando bate a porta ou alguém grita, você assusta. Fica claro que você sente o toque, porque quando alguém segura sua mão ou o braço, você se mexe, a pele arrepia. Você prefere os iogurtes de fruta, demonstrando paladar, e seu olfato treinado pra aromas decerto percebe o perfume forte e doce da assistente social.

Mas ver é tão mais sutil. Às vezes seus olhos se fixam nos meus e eu sinto que você está ali e me vendo. Mas muitas vezes eles escapam de mim e do seu quarto e desse mundo. Você vai pra longe. Não gosto.

Não lembro se já te contei que faço descrição de imagem de livros didáticos para deficientes visuais. É um projeto incrível. Poder traduzir as imagens em palavras e, dessa forma, ajudar no acesso a informação e a inclusão social e cultural é bem emocionante. O projeto chama Ver com Palavras. Bonito, né?

Precisei de um tempo pra pegar a prática. Saber a medida certa, nem exagerar nos detalhes nem omitir algum importante. Descrever uma foto de um leão numa jaula é uma coisa. Outra coisa é descrever o painel Guernica.

A coordenadora do projeto diz que é importante colocar até as cores na descrição. Apesar de não enxergá-las, para cada pessoa elas podem remeter a uma memória olfativa, afetiva ou, quem sabe, um gosto especial. Pra mim, por exemplo, o amarelo tem gosto e cheiro da fazenda da Tia Zita, ali perto de onde guardavam o trator e as mangas amarelavam o chão e o ar.

Essa semana tenho me incomodado com os invisíveis que permeiam nosso dia a dia. Voltei a trabalhar quarta-feira e uma fala despretensiosa do rapaz da manutenção da escola me fez pensar no quanto a gente não olha em volta. “Eu pintei a porta dessa sala, mudei até a cor, mas ninguém nem reparou”, disse.

Acho que a cor da porta não cabia nas minhas preocupações do recomeço. Voltei focada na minha própria prática pedagógica, na preparação do meu próprio material didático, nas antecipações pra ajudar na minha própria organização. Essa mania de se apropriar de tudo e não enxergar o outro. Ou enxergar só o que ou quem interessa. Um olhar seletivo.

A gente mesmo sempre soube o nome do carteiro da nossa rua, dos guardas, do entregador de jornal, mas nunca dos lixeiros, né? E era capaz de se irritar com o caminhão de lixo andando lento pela rua estreita, mas não achava importante cumprimentar ou agradecer ou, no mínimo, disfarçar o incômodo do cheiro. No começo deste ano, precisou de uma greve dos garis no Rio e toneladas de lixo espalhadas pelas ruas pra sociedade enxergá-los.

Acho que o treino de descrever as imagens me ajudou a descrever significados e enxergar um sentido pra isso tudo que vivemos há um tempo. Ainda que tenha dificuldade em perceber as cores nas portas, já consigo sentir “como é bom chegar a este ponto de olhar em torno e se sentir maior e mais orgulhoso porque já conhece outras vidas…”.

Ah, Ita, e essa imagem é da capa de um livro de fotografias dos meus filhos, presente importante que ganhei no Natal de 2005, quando, ainda no escuro, precisava dos olhos deles pra caminhar.

Anúncios

10 comentários em “Pela luz dos olhos teus

  1. Bruna
    agosto 3, 2014

    Nossa, que texto lindo.
    A gente te empresta os olhos sempre que precisar, apesar de achar que não existe ninguém capaz de enxergar as coisas como você.
    Te amo!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Juliana Navarro
    agosto 3, 2014

    Sensibilidade a flor da pele, delicadeza, respeito, amor incondicional….. Um grande bj a vc

    Curtido por 1 pessoa

  3. lulicrespin
    agosto 4, 2014

    Eu não tenho dúvida Ita, nos seus cinco sentidos
    Acredito no seu olhar profundo, as vezes, triste, as vezes mais perdido
    No toque quando seguro sua mão e faço massagem pois o Haroldo falou que era bom para você
    No paladar que faz careta quando experimenta algo de sabor estranho
    Com certeza os cheiros que te incomodam e fazem espirrar
    E sua audição, a mais expressiva
    Pelos sustos, pelas palavras e nomes que você reage e principalmente as músicas, elas ainda te fazem sorrir e chorar
    Parece que nesta hora você me diz em pensamento
    Que saudades!
    Gostaria de poder te tirar do quarto, ter um carro bom e grande e te levar andar pela cidade, olhar lugares que você sempre foi, alguns não reconheceria, outros quem sabe de reagiriam
    Queria te levar a outros mundos fora do seu quarto
    Queria poder fazer tudo o que fosse possível para estimular todos os seus sentidos
    Só me sinto completa e feliz se as pessoas que amo também estão
    As vezes quero abraçar todo mundo
    Mas tem vezes que meus braços não alcançam nem a mim mesma
    Mesmo que os seus 5 sentidos não sejam sentidos tantas vezes como eu gostaria
    Temos uma ligação, que essa posso e mantenho clara e viva
    Você transita pelos meus sonhos, noites e dias
    E conversamos, ouvimos musica e digo sempre como te amo
    É difícil um dia que não me lembre de você, que não me ágüe os olhos com as musicas do Oswaldo e que não espere que o telefone toque com alguma notícia incrível sobre você
    Você faz parte do meu passado, presente e futuro
    Você faz parte da minha esperança

    Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
    De rostos serenos, de palavras soltas
    Eu quero a rua toda parecendo louca
    Com gente gritando e se abraçando ao sol

    Curtido por 1 pessoa

  4. bettinabopp
    agosto 4, 2014

    Se ainda não dá pra sair, o Ita precisa que se traga a luz pra dentro do quarto! Vc sabe como fazer, Lula!

    Curtir

  5. cyntiaguilera
    agosto 5, 2014

    Lindo, Bettina. Nunca mencionei, mas amo seus textos!
    um beijo 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  6. Flá
    maio 13, 2015

    obrigada por esse bom dia, Be. Ver é tão sutil; colocar sentimentos em palavras, também. ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s