pra quando você acordar

por Bettina Bopp

Conta comigo, Roberto?

ita jockey

Você não vai acreditar, mas o Roberto Arruda está mais próximo da gente e de um jeito muito carinhoso, mesmo que virtualmente. Olha só o que ele contou de vocês:

“Tenho acompanhado com carinho o “pra quando você acordar”. Sempre emocionante, não só pela emoção do texto, mas por trazer ótimas lembranças e boas expectativas.

Sou do tempo de um Ita que muitos dos atuais amigos não o conheciam ainda. Um Ita que, embora ainda não houvesse a palavra, sofria bullying por ser baixinho. Sim, ele já foi baixinho, como eu e Luis Eduardo éramos. Talvez um dos motivos que nos aproximaram.

E, nós três, por muitos anos fomos grandes amigos. Muitos sonhos e planos foram feitos na época. Por meses pesquisamos preços de equipamentos eletrônicos: tínhamos certeza de que criaríamos a melhor empresa de som e luz para festas. E levamos a sério o assunto, com orçamentos, escolha de nome fantasia e tantas reuniões dos adolescentes empreendedores. Não deu em nada, mas nos divertimos.

Também éramos fanáticos por esportes. Sempre que possível, treinávamos e jogávamos no Pinheiros e no Jockey. Pela altura, disputávamos a posição de levantadores no vôlei, o Ita melhor do que eu, titular. Foram muitas tardes de saudáveis brincadeiras, num rodízio entre clube e nossas casas.

Em casa, lembro das conversas e da aversão a bolo quente… E das disputas pelas namoradinhas. As namoradas do Ita pós Jockey podem não acreditar, mas ele não era o galã, título que, dos três amigos, era do Luis.

Mas as principais características já eram fortes e presentes em cada atitude desde aquela época. Sua amizade ilimitada, sempre em defesa dos amigos. E a explosão – havia muita emoção para caber naquele pequeno Ita.

Depois de crescidos, encontrei apenas duas vezes com ele, ambas por acaso. Lembro que uma foi pouco tempo após uma queda de moto, ainda com algumas marcas do acidente. Nas duas ocasiões, como é comum nas grandes amizades, não demos conta de quanto tempo não nos víamos e conversamos como se o último encontro tivesse sido no dia anterior.

Acabamos não tendo oportunidade de novos encontros. Mudei para o interior, ficando ainda mais distante. Fiquei sabendo que o Ita havia dormido muito tempo depois, por uma amiga comum, colega do tempo do Jockey. Sem buscar desculpas mais elegantes, faltou-me coragem para aparecer depois de tanto tempo, mas me reaproximei em pensamentos, torcida e pelas mensagens virtuais.

Falei rapidamente de algumas lembranças e as boas expectativas. Retomei as conversas como se o tempo não houvesse passado – como foi nos últimos encontros e assim também será, em breve, assim que o Ita acordar.”

Anúncios

2 comentários em “Conta comigo, Roberto?

  1. lulicrespin
    maio 14, 2014

    E esta semana o domingo veio mais cedo de novo
    Um texto lindo de um amigo distante Ita, mas que trouxe um passado cheio de vida, alegria e otimismo
    Do garoto baixinho a galã foi um pulo em?
    E este rótulo lhe pertence até hoje, mesmo dormindo
    E ser querido e cheio de amigos também sempre foi real em sua vida
    Hoje, alguns perto,
    outros a distância, como o Roberto
    outros não voltaram mais
    Alguns novos chegaram
    Como acontece na vida
    Mas todos, absolutamente todos que te conhecem
    São apaixonados por você
    Mesmo agora dormindo encanta as pessoas
    E eu te amo tanto que as vezes nem cabe em mim

    Curtir

  2. bettinabopp
    maio 14, 2014

    Bem lindo, Lula! ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em maio 14, 2014 por e marcado , , .