pra quando você acordar

por Bettina Bopp

Eis a questão

 769px-Hamlet,_Shakespeare,_1676_-_0001

Você não vai acreditar, mas Sir William Shakespeare está perto de você há seis anos. Tá certo, não é nem tão Sir nem tão Shakespeare, mas é William e um ótimo contador de histórias.

Seu William é o enfermeiro que cuida de você há mais tempo. E com total dedicação. Mas não é isso que chama a atenção. Seu William conversa com você horas e, o mais incrível, diz que você responde. Os assuntos são os mais diversos. Às vezes, ele sai do seu quarto e fica sentado na sala. Quem passa, pergunta: “Tudo bem, seu William”?”. “Tudo bem, o Ita tá um pouco irritado comigo porque atrasei a prestação da minha casa, então pediu pra eu sair”. E diz que você não gosta quando ele come pizza de calabresa ou não aproveita as liquidações. “Dona Elvira, o Ita acha que eu tenho mesmo que comprar a máquina de lavar de 8 kg!”.

Você tem febres repentinas e inexplicáveis de vez em quando. Inexplicáveis para medicina e para os mortais. Não para Seu William. “Dona Elvira, essa febre não é nada, o Ita tá um pouco preocupado com a casa na praia, mas já falei que está tudo tranquilo.” E a febre passa.

A primeira vez que você falou com ele, o pai ainda tava vivo e fazia pouco tempo que Seu William estava lá. Segundo ele, suas primeiras perguntas foram: “Mamãe fuma? Papai sabe?”.  E sabe quando você faria essas perguntas? Nunca! Não pelo fato de querer saber se a mãe fuma escondido, mas por chamá-los de mamãe-papai. Acho que nossa única herança do gauchês do Ita-avô é falar “o pai isso…, a mãe aquilo…”. “Mamãe fuma? Papai sabe?” virou piada interna – sem ele saber, é claro.

Nas noites que a mãe perde o sono, os dois passam a madrugada conversando. E aí que Seu William conta pra ela todos os seus questionamentos, o quanto você está mais desperto, como você melhorou, num papo sem fim, regado a dúzias de balas de coco. Como diabético, Seu William não deveria comer. Mas come. E daí, com a glicose em 500, as histórias se multiplicam e a mãe fica feliz – mentiras sinceras me interessam.

Seu William é uma pessoa sozinha. A mãe dele morreu há dois anos e agora só tem um sobrinho distante. Você é muito importante pra ele.

Ele não se importa de dobrar horário se outro enfermeiro não vem. Mas também é muito ciumento e aproveita pra dizer que é você quem não gosta daquele ou do outro enfermeiro… ou da fisio ou da fono. “Melhor não vir mais, Dona Elvira.”

Assim como no desenho Toy Story, que os brinquedos tomam vida quando ninguém está olhando, imagino você e Seu William quando a casa dorme. Você se levanta, senta na poltrona, Seu William deita e você faz uma sessão de terapia com ele. Talvez, se não fosse por tudo o que aconteceu, vocês nunca teriam seus caminhos cruzados. Hoje vocês são parceiros.

Acho que quando uma pessoa morre – ou dorme! – as lembranças sofrem um processo de decantação. Os defeitos, mais densos e pesados que as qualidades, são depositados no fundo da memória e as qualidades se sobressaem, transparentes, insípidas e inodoras. Assim, recriar você, mesmo pra quem não te conheceu, é fácil e o resultado encantador. Não que você não tivesse um milhão de coisas boas, mas, claro, não era – ou é – perfeito. Agora, sua reputação está lá em cima. Trate de levar a sério.

Uma última questão: por que você só fala com Seu William, Hamlet?!

Anúncios

27 comentários em “Eis a questão

  1. Desiree
    março 23, 2014

    Que lindo…

    Curtir

  2. Luis Henrique
    março 23, 2014

    Show, como vc tem idéias e compreende o universo do Ita. Bjs

    Curtir

    • bettinabopp
      março 23, 2014

      Ike querido, é a maneira que encontrei de estar mais perto dele! Bj com saudades

      Curtir

  3. lulicrespin
    março 23, 2014

    Amei, e ainda bem que não chorei e sim ri,a forma como vc escreve o que acontece que tem toda a diferença.
    Nunca passa longe de uma emoção forte
    Amo muito!

    Curtir

  4. Bruna
    março 23, 2014

    Sou mais as histórias do Seu William do que as do Shakespeare.
    Você é genial!
    Te amo.

    Curtir

  5. Lucia Campelo Paes
    março 23, 2014

    Bettina desculpe a minha ignorancia mas nao sou tao intima de vcs me diga o Ita existe ou é ficção ?Voce é simplesmente sensacional uma inteligência ,uma facilidade de escrever estou deslumbrada gosto de ler e vc escreve coisas lindas voce é genial bjos

    Curtir

    • bettinabopp
      março 23, 2014

      Lucia querida, o Ita existe sim, é meu irmão mais velho. Há oito anos, ele, na época com 41 anos, teve um infarto seguido de extensa parada cardíaca e desde então está coma. Ele mora com a minha mãe em home care. Fico feliz que você goste dos textos! Bj

      Curtir

  6. anaclaudia
    março 23, 2014

    Be, muito legal esta iniciativa…pra você e sua família. E como você escreve!!!! Parabéns!

    Curtir

  7. M Helena Falleiros Lauria
    março 23, 2014

    Estou adorando seus textos! Parabéns! bjs

    Curtir

  8. baronisp
    março 23, 2014

    Que coisa mais gostosa …li este texto ouvindo paciência do Lenine…emoção veio a tona. Be, sentí a emicao dele qdo a galera do bom foi cantar Parabéns pro Ita, estava na cara do Willian a felicidade pro seu gde amigo. Amo vcs, mto. Bjaoo

    Curtir

    • bettinabopp
      março 23, 2014

      É isso mesmo, querido, Seu William torce e compartilha tudo com o Ita! Vcs são também muito amados por todos nós! Bj

      Curtir

  9. Kris Gonçalves
    abril 1, 2014

    Cada vez, gosto mais do que escreve do Ita, gostaria de por um minutinho, ser o sr William e conversar com ele! Bjkas!

    Curtir

  10. bettinabopp
    abril 1, 2014

    Kris, querida, vai lá! O Ita vai gostar, certeza! Bj

    Curtir

  11. Cláudia Pegoraro
    dezembro 18, 2014

    Bettina,
    Eu não a conheço, talvez já a tenha visto, não sei… Nos (lá bem longe) anos 80, conheci o Itamar numa festa, acho que foi isso, não lembro bem. Ficamos amigos e por um tempo saímos bastante… Ele sempre foi um querido comigo, não esqueço seu sorriso largo e extremo carinho com que me tratava. Conversando com uma amiga (que também o conhecia ) lembramos dele e resolvi buscá-lo nesse mundo virtual. Acabei chegando a seu blog. E li … muito… quase tudo… Emocionei-me demais! Não sabia de nada. Não lembro como nem porque nos distanciamos… Coisas da vida. Que pena, Itamar é uma pessoa muito especial para se ter por perto. Em um de seus textos você menciona feitos dele que nunca chegaram ao seu conhecimento, sobre sua extrema bondade. Sim , era o que mais me encantava no Ita. E, se não for intromissão, queria contar a você uma das inúmeras delicadezas de seu irmão. Uma vez , levei um supremo pé na bunda de um cara que eu namorava há um tempo. Gostava muito dele, mas o sujeito não valia muita coisa. E, como ele era um tremendo idiota, fez isso pelo telefone, acredita? Fiquei arrasada naquele dia, estava super triste e seu irmão, do nada, me ligou. Sabendo de tudo e percebendo meu estado, disse que não me deixaria só de jeito nenhum e passou em casa para irmos ao cinema. Chegando lá , fui para a fila enquanto Itamar foi comprar os ingressos. E quem estava lá na fila, todo animado? Meu ex. Quase morri de raiva, de tristeza, de vergonha… tudo misturado. Saí rapidinho, antes que ele me visse e fui ao encontro do Itamar que, com os ingressos já em mãos, me acolheu de pronto e me tirou dali. Fomos comer algo e ele cuidou de mim, de um jeito muito carinhoso. Conversamos bastante e ele fez com que aquela noite fosse bem menos dolorosa. Nem sei se ele percebeu o bem que me fez naquele momento. Isso ficou guardado em meu coração, jamais esqueci.
    Que saudade dele!! Estou morando no Rio, atualmente, mas queria muito vê-lo. Quando for a SP posso te procurar?
    Um beijo grande
    Cláudia

    Curtir

    • bettinabopp
      dezembro 19, 2014

      Lindo, Claudia, gostei muito de saber dessa história. O Ita fazia essas coisas pras pessoas queridas! Venha sim, me procure e a gente vai lá ver o Ita! Obrigada pela sua mensagem, me fez bem! Beijo

      Curtir

      • Cláudia Pegoraro
        dezembro 19, 2014

        Que bom!! Vou te procurar sim ! Virei fã de seus textos ! Só podia ser irmã do Ita mesmo, o carinho nos gestos é de família, ne? rsrsr beijos

        Curtido por 2 pessoas

  12. keethellyn
    junho 19, 2015

    Sério que existem pessoas como vcs? que tocam no fundo da alma com palavras assim. Sorte de quem pode além de lê-las, ouvi-las.

    Curtido por 1 pessoa

    • bettinabopp
      junho 19, 2015

      Ainda me surpreende pessoas como vc, Keethellyn! Só palavras doces, só carinho! muito obrigada! Um beijo

      Curtir

  13. Natália
    julho 7, 2015

    Primeira vez que entro no blog e achei linda sua atitude. Uma ótima maneira de guardar tudo o que o Ita vai querer se atualizar. Quanto ao Seu Willian, que parceria maravilhosa ele faz com o seu irmão. Um faz bem para o outro, né?! Nunca perca a esperança, estou na torcida por vocês. Beijo grande!!!!!

    Curtido por 1 pessoa

  14. Ricardo
    julho 7, 2015

    Tão inspirador e humano!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em março 23, 2014 por e marcado , , , , , , , .